Coisas que vocês não sabem sobre mim

Uma pequena anedota para vocês: há algum tempo eu havia me proposto a gravar o tal vídeo ’50 fatos sobre mim’.

Mais um artigo que eu fiz junto com a minha esposa e espero que gostem.

Anotei todos, numa compilação de alguns dias até ter 50 fatos interessantes o suficiente. Me preparei. Arrumei a câmera – na época eu gravava com o celular ainda – por um tempão, fiz vários testes pra ver onde eu ia sentar, arrumei o cenário, me sentei e mandei bala. Eu acho que falei por uns 50 minutos, não estou exagerando.

Coisas que vocês não sabem sobre mim

Daí eu parei pra beber água, eu acho. Peguei o celular, que estava pegando fogo de tão quente e… ELE ESTAVA DESLIGADO. Toda a minha falação tinha sido pro além e dela restaram apenas os 8 minutos iniciais. O resumo da história é que eu fiquei com muita raiva, peguei um bode gigante desse vídeo e decidi que ficaria muito tempo até gravar de novo.

E não, a hora não chegou. Mas fiquei com vontade de fazer uma listinha – bem menor do que 50 itens – de coisas que talvez vocês não saibam sobre mim. Eu gosto de listas. Acho que isso vocês sabem 😉

  1. Nasci dia 17/12/89, um domingo, dia em que o Fernando Collor foi eleito, AFF. Meus pais estavam se preparando para votar quando PIMBA, a bolsa estourou.
  2. Não sou ruiva natural, mas nasci ruivinha, ruivinha! Depois meu cabelo ficou bem loiro, muito claro, e com uns 11 anos ele começou a escurecer. Hoje minha cor sem tinta nenhuma é castanho claro.
  3. Noelle não é um sobrenome. É meu segundo nome, que veio do livro “O Outro Lado da Meia-Noite“, do Sidney Sheldon, da personagem Noelle Page. Minha mãe só me deixou ler quando eu já tava crescidinha, acreditam? E Stephanie é por causa da princesa mesmo, Stéphanie de Mônaco (o dela com acento).
  4. Já pintei meu cabelo de preto e já fui meio que gótica, gótica suave, sabe? E também fui meio emo, mas eu não gostava das músicas, só do estilo de roupa, HEHE. Poser?
  5. Ganhei meu primeiro computador aos 14 anos, e desde então eu escrevo na internet. Já tive blog com fundo preto e cursor de glitter, já tive fotolog, já tive livejournal e já tive blogspot.
  6. Dei meu primeiro beijo aos 11 anos, mas só fui namorar com 15 anos. Depois de quase três anos com meu primeiro namorado, eu conheci o David e o resto vocês já sabem
  7. Estudei minha vida toda em escola pública, fiz um ano de cursinho com bolsa, no Anglo, e passei na USP, onde me formei em Jornalismo, na Unesp e na Unicamp.
  8. Já me mudei 14 vezes! E morei em Goiânia durante dois anos. Morro de saudades e foi o lugar mais legal que já morei 🙂
  9. Minha mãe é muito brava! E quando eu tinha uns 12 anos ela assinava a revista Nova, que vinha com uma seção de “Sexo Lacrado”.

Ela até me deixava ler a revista (porque desde pequena eu devorara toda e qualquer coisa com letras impressas, haha), mas me proibia de ver essas páginas. Eu tinha tanto medo dela descobrir e ficar brava que eu nunca nem espiei essas páginas! Só fui ver mesmo do que se tratava quando já tava maior, com uns 17/18 anos, no consultório do meu ginecologista, haha. Tá vendo, mãe, como fui obediente?

  1. Moro em São Paulo, em um apartamento com mais quatro meninos (Nicolas, Simon, Hugo e Alex) e dois gatos, o Michelangelo e o Gregório.
  2. Até meus 16 anos eu queria ser diplomata. Já quis ser juíza e cientista também. Entrei em Jornalismo querendo cobrir política ou cultura, e nunca pensei em trabalhar com moda.
  3. Sou filha única e meus pais se separaram depois de 20 anos juntos, quando me mudei pra São Paulo.
  4. Fiz teatro durante quatro anos, lá em Mogi Mirim, até meus 15 anos. Também já fiz ballet, dança de rua, dança do ventre e dança típica francesa.
  5. Ganhei meu primeiro livro aos 8 anos de idade, chamado “A Charada da Chuva“, da minha tia Nina, mas eu sempre fui ratinha de biblioteca e tenho várias memórias de ficar tardes inteiras lendo nas mesas de madeira.
  6. Conheci uma menina pela internet e ela tinha um blog com um layout com umas imagens de clipes (desses de papel, mesmo), e nos posts ela contava sobre os tais clipes que achava na rua. Meu ex-namorado me apresentou, e eu não acreditava na peculiaridade daquela menina.

Nos conhecemos, vim pela primeira vez pra São Paulo pra visitá-la, trocávamos cartas com regularidade falando sobre como a gente não sentia que pertencia ao lugar que estávamos  e sonhávamos que um dia moraríamos na mesma cidade e faríamos várias coisas juntas e finalmente encontraríamos nosso espaço.

O nome dessa menina é Babi, e somos amigas há dez anos. Ela é um dos motivos pelos quais eu amo a internet e sei que coisas muito lindas e relações muito fortes podem ser construídas por aqui <3

Não lembro se já contei alguma dessas coisas aqui, mas acho que a maioria não! Espero que tenham gostado 🙂